domingo, 14 de novembro de 2010

Um pouquinho de tudo, na medida certa..

É importante afirmar que quando a razão é mal empregada só gera distúrbios. O poder é emocional, eu sei, mas só quem chega ao poder é quem voa incessantemente até a razão. Por isso, a razão pura não me satisfaz. Eu quero um pouco de tudo. Eu não quero poder, eu quero respeito. São coisas muito diferentes, muito distintas. Eu não sou boba da corte intencionalmente, apenas mostrei ao mundo aquilo que todos escondem, liberei a minha personalidade. Mostrei às pessoas algo que somente eu mesma via no espelho. E com isso roubaram-me o medo, pintaram-no de cor-de-rosa e purpurina, também lhe deram cetins de bailarina e babado carmim de melindrosa. Tudo para me ajudar a superar essa insegurança repentina que me aflinge. Mas ainda sim, eu o vejo, eu o sinto, e eu o temo. O medo que existe não vai passar fácil, medos não são fáceis. E mesmo que ele esteja disfarçado eu sei que ele existe. Mas existem coisas que me tiram de perto desse medo. Coisas que eu sempre tenho em mente justamente para isso. Coisas que me confortam que me deixam feliz. Eu penso que nem tudo são maravilhas, mas que ainda existem coisas boas nesse mundo sem amor. Ainda existem pessoas de bm, ainda existem boas ações, ainda existem corações apaixonados, ainda existem motivos para sorrir. Sou a favor da preservação da vida. Não na mediocridade que se encontra, mas na maravilha que ela é.

Um comentário:

  1. "Ainda existem pessoas de bm, ainda existem boas ações, ainda existem corações apaixonados, ainda existem motivos para sorrir."
    E por ainda existirem essas coisas, devemos acreditar na vida e menosprezar os nossos medos.

    Estou seguindo. Parabéns, você escreve muito bem.

    Beijos

    ResponderExcluir